"O TRABALHO DIGNIFICA O HOMEM"

http://httpwwwluizfelipelopesdiascombr.blogspot.com/

sexta-feira, 22 de junho de 2018

ALMANAQUE GERAL FERROVIARIO - PARADA SANTA GUILHERMINA

EF LEOPOLDINA1975 - RFFSA1994
FLUMITRENS - CENTRAL GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. 
2016 SUPERVIA
INAUGURAÇÃO 2 DEZEMBRO 1926 DESATIVADA 29 MAIO 2011
MÉTRICA - RAMAL SARACURUNA X GUAPIMIRIM
FOTOS: MINHAS LENTES
BARÃO DE IRIRI - MAGÉ  RIO DE JANEIRO BRASIL.





 Restos de protestos de moradores insatisfeitos pela não parada das composições na estação Santa Guilhermina, fecharam o ramal com queima de pneus.

http://httpwwwluizfelipelopesdiascombr.blogspot.com/2018/06/almanaque-geral-ferroviario-parada.html

domingo, 3 de junho de 2018

ALMANAQUE GERAL FERROVIARIO - ESTRADA DE FERRO THEREZOPOLIS

RESQUÍCIOS DA ESTRADA DE FERRO THEREZÓPOLIS:

E. F. THEREZOPOLIS 1908-1919 
ESTRADA DE FERRO CENTRAL DO BRASIL 1919-1957 
ESTRADA DE FERRO LEOPOLDINA 1957 
Quem chega a Teresópolis, vindo do Rio de Janeiro, ao fazer a curva em frente a entrada do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, se depara com uma enorme ponte ferroviária sobre o Rio Paquequer. Aparentemente trata-se do único elemento sobrevivente do extinto sistema ferroviário de Teresópolis que durou 49 anos. Mas existem outros indícios da ferrovia que foram escondidos pelo crescimento da cidade. Pensando nisso, decidi fazer esta pesquisa para redescobrir e documentar estes indícios e também contar esta fantástica história de uma estrada de ferro que trouxe progresso a uma cidade mas que foi parcialmente eliminada por conta desse mesmo progresso.
Enquanto isso, a ponte sobre a Cascata Sloper, no Rio Paquequer, resiste por mais de cem anos em seu leito de pedras, servindo como monumento ao meio de transporte que trouxe o desenvolvimento para Teresópolis.
1896 A 1908
A primeira parte do ramal funcionava a partir do Cais da Piedade, nos fundos da Baía da Guanabara onde atracavam as barcas de passageiros vindas do Rio de Janeiro, até o distrito de Guapimirim, passando pelo centro do município de Magé. As composições possuíam carros de madeira tracionados por locomotivas a vapor. Até 1901, a estação de Guapimirim foi final de linha, quando iniciaram as obras para subir a Serra dos Órgãos. A expansão foi gradativa chegando primeiro na localidade de Barreira em 1904, Miudinho em 1905, Garrafão em 1908 e finalmente no Alto de Teresópolis, neste mesmo ano.
1908 a 1919
No dia 7 de setembro 1908 foi inaugurado o trecho da Serra dos Órgãos, partindo de Guapimirim, chegando ao Alto de Teresópolis. Para subir a serra, a composição era dividida e os carros de passageiros empurrados, dois a dois, por locomotivas a vapor utilizando cremalheira do sistema Riggenbach, que consiste em um 3º trilho central dentado, semelhante a uma escada sem fim. No alto da serra, no pátio do Soberbo, os carros de passageiros eram novamente reunidos e seguiam viagem até a estação do Alto de Teresópolis, tracionados por outra locomotiva a vapor.
1919 a 1957
Com a encampação da ferrovia pela Estrada de Ferro Central do Brasil em 1919, o ramal foi prolongado até a localidade denominada Várzea de Teresópolis onde foi construída a nova estação terminal em 1929. O trecho entre Piedade e Magé foi desativado e os trens passaram a partir da Estação Barão de Mauá, no Rio de Janeiro até Magé, onde seguiam para Teresópolis pelo trajeto original.
1957 aos dias de hoje
Em 9 de março de 1957, o ramal passou a ser administrado pela Estrada de Ferro Leopoldina que tratou logo de desativar o trecho entre Guapimirim e Teresópolis já que nesta época, o projeto de uma rodovia ligando o Rio a Teresópolis estava em fase adiantada. Atualmente no que restou da ferrovia ainda trafegam, de forma precária, alguns trens metropolitanos, operados pela Flumitrens e depois Central Logística pertencente ao governo do estado do Rio de Janeiro.
Com a privatização das linhas de trens metropolitanos este trecho teve melhora significativa agora operados pela concessionaria Supervia ramal da métrica Saracuruna a Guapimirim.
Em Teresópolis, ainda encontramos alguns vestígios da ferrovia.
como está ponte no alto.

EMBARQUE NO PORTO PIEDADE/MAGÉ 1926 Histórico Registro.
Passageiros vindo de Teresópolis via E.F, T embarcando com destino ao Cais Pharoux ou Prainha (Praça XV).
Foto : Guilherme Santos.

ESTAÇÕES E PARADAS DO PERCURSO ORIGINAL
Trecho da Baixada Fluminense
 Piedade.
 Magé (encontro com o ramal da Leopoldina, vindo do Rio de Janeiro) 
Nova Marília
 Maringá
Jororó (antiga Augusto Vieira)
 Citrolândia
 Ideal
 Capim
 Parada Modelo
 Bananal
 Guapimirim (antiga: Raiz da Serra, Guapi, Bananal, Alcindo Guanabara e Guararema) 

( 3  FOTOS DE MINHAS LENTES ESTAÇÃO GUAPIMIRIM)
Agosto 2010 nesta época a Central Logística do Governo do Estado do Rio de Janeiro administrava este ramal com composições saindo de Guapimirim para Saracuruna.
Do murro ao fundo, começava a subida em cremalheira.
Trecho da Serra dos Órgãos
Barreira -Miudinho
FOTO: Pinterest Gilvicente 180
Trecho do perímetro urbano de Teresópolis
Soberbo (alto da serra)
Alto Teresópolis  Fazendinha
 José Augusto Vieira (antiga Várzea de Teresópolis)

FOTO EXTRAÍDA DO FILME 
Estrada de Ferro Therezopolis - SBT - YouTube2.mp4
O Rio Paquequer ( 2 FOTOS DE MINHAS LENTES Ponte sobre a Cascata Sloper formada pelo Rio Paquequer, em frente à entrada do Parque Nacional da Serra dos Órgãos.) 
Era transposto por uma ponte de concreto e pedra, com traçado em curva e seguia por onde situa parte do Condomínio Comary. Esta ponte foi preservada sem os trilhos e pode ser vista do viaduto rodoviário em frente à portaria do Parque Nacional da Serra do Órgãos. Está inacessível pois suas extremidades foram invadidas por proprietários de residências vizinhas. Em outubro de 2005, a Prefeitura Municipal de Teresópolis iniciou um trabalho de restauração incluindo a limpeza do mato existente no local e a colocação de refletores para iluminação noturna, visando atrair visitantes.

Mais fotos completando de Minhas Lentes em:
https://www.facebook.com/luizfelipe.lopesdias/media_set?set=a.576332822452673.1073741864.100002278828310&type=3&_rdc=1&_rdr

domingo, 4 de fevereiro de 2018

ALMANAQUE GERAL FERROVIARIO - PRIMEIRA FERROVIA DO PAIS ESTRADA DE FERRO MAUÁ.

E. F. MAUÁ 1854-1888
E. F. PRÍNCIPE do GRÃO PARÁ 1888-1890
E. F. LEOPOLDINA 1890-1962
ENTRONCAMENTO COM A BR 116
FOTOS EXCLUSIVAS DE MINHAS LENTES 
MAGÉ - RIO DE JANEIRO - BRASIL.
A Estrada de Ferro Mauá, como é conhecida hoje em dia e oficialmente denominada Imperial Companhia de Navegação a Vapor e Estrada de Ferro de Petropolis, foi a primeira ferrovia a ser estabelecida no Brasil.[1] Foi inaugurada em 30 de abril de 1854 em seu trecho inicial, ligando o Porto de Mauá a Fragoso no Rio de Janeiro, num trecho de 14,5 km. Mais tarde foi prolongada, chegando a 15,19 km. Foi construída pelo empreendedor brasileiro Irineu Evangelista de Sousa, o Barão de Mauá.
O trecho ferroviário seguia da Estação Guia de Pacobaíba (antiga Estação Mauá, a estação recebeu esse nome após ser arrendada pela Estrada de Ferro Príncipe do Grão Pará), no atual município de Magé, até Fragoso, localidade de Inhomirim, também conhecida como Raiz da Serra.
A extensão até Raiz da Serra (Vila Inhomirim) se deu em 1856, onde se iniciaria a subida por cremalheira para Petrópolis, e Areal, somente 30 anos mais tarde. Em 1962 o tráfego entre Pacobaíba e Piabetá foi suprimido.
Em 1964, foi a vez do trecho de Vila Inhomirim a Três Rios ser desativado. Entretanto, ainda resta um pequeno trecho da primeira ferrovia do Brasil com tráfego de trens (trens de subúrbio operados pela Supervia, em uma extensão de sua linha que termina em Saracuruna) entre Piabetá e Vila Inhomirim.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Estrada_de_Ferro_Mau%C3%A1



SEGUE FOTOS DE MINHAS LENTES:
TODAS FOTOS NO ÁLBUM
https://www.facebook.com/luizfelipe.lopesdias/media_set?set=a.1602646439821301.1073742186.100002278828310&type=3&pnref=story

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

ALMANAQUE GERAL FERROVIARIO - ESTAÇÃO BONSUCESSO



E.F. NORTE 1886 - 1888
R.J. NORTHERN RAILWAY 1888 - 1890
E.F. LEOPOLDINA 1890 - 1975
RFFSA 1975 - 1996
SUPERVIA 1996 - 2017

É uma estação de metropolitano da cidade do Rio de Janeiro, no Brasil. Localiza-se no bairro homônimo, na Zona Norte da cidade. Sofreu, a partir das intervença torná-la uma estação moderna e integrada ao novo teleférico que atende as favelas do Complexo do Alemão.
Esta estação, em nível, possui uma plataforma e dois acessos, um para a Praça das Nações e outra para a Rua Uranos. A sua decoração, planejada pelo escritório do designer Thiago Monteiro, possui painéis que ilustram o cotidiano do dia-a-dia dos moradores
 do PAC concluídas em 2011, importantes mudanças que alteraram a sua antiga estrutura física para região ep possui no seu mezanino, alguns quiosques.
Plataforma 1A: Sentidos Gramacho e Saracuruna
Plataforma 1B: Sentido Central.

Bonsucesso - Rio de Janeiro - Brasil.
FOTOS MINHAS LENTES
https://www.facebook.com/luizfelipe.lopesdias/media_set?set=a.1387260301359917.1073742173.100002278828310&type=3






Estação de Bonsucesso, visto do teleférico em 2013.

domingo, 24 de setembro de 2017

ALMANAQUE GERAL FERROVIARIO - LOCOMOTIVA A DIESEL.

Máquina de motor a diesel, montada sobre rodas e destinada a rebocar carros ou vagões sobre trilhos.
Bitola 1,60.
Transmissão por corrente mecânica.
Motor a Diesel
Foto mostra que já levaram o motor de arranque e alternador.
Interior
Sem a placa de identificação.
Se encontra na calçada próximo a pista de rolamento.
A 500 metros para a direita sentido centro, funciona um distribuidor de trilhos, segundo o Cesar Cesar Moraes https://www.facebook.com/cesar.cesarmoraes?fref=ufi esse distribuidor é o Rei do AMV.
Local Avenida Brasil 28350 sentido Campo Grande.
Fotos: Minhas Lentes - Rio de Janeiro - Brasil.
https://www.facebook.com/luizfelipe.lopesdias/media_set?set=a.1455602054525741.1073742179.100002278828310&type=3

https://httpwwwluizfelipelopesdiascombr.blogspot.com.br/