"O TRABALHO DIGNIFICA O HOMEM"

http://httpwwwluizfelipelopesdiascombr.blogspot.com/

quarta-feira, 18 de julho de 2012

ALMANAQUE GERAL FERROVIÁRIO "PONTE METROVIÁRIA RJ"

Ligação da linha 2 do Metrô superfície com a linha 1 na estação Central do Brasil passando pela estação Cidade Nova, este arco foi construído sobre o canal do mangue e Av Francisco Bicalho, seu arrojado desenho foi uma opção do governo do estado RJ, o projeto original do metrô depois da estação São Cristóvão por baixo chegar até a Carioca, passando pelas estações Estácio já construída que tem ligação com a linha 1 faltando construir até a estação Cruz Vermelha chegando a estação Carioca.

Ponte Metroviária em Arco Metálico – Rio de Janeiro / RJ Fotos "exclusivas" minhas lentes outras  fotos publicadas em:

domingo, 8 de julho de 2012

ALMANAQUE GERAL FERROVIÁRIO "No passar dos anos a História do trem Rio & São Paulo o TAV e outros de longa distancia"

História deste trem
- Hoje não existe mais o Trem que ligava Rio - SP - O Cruzeiro do Sul foi uma das composições que circularam no Ramal de São Paulo durante os 120 anos em que circularam trens de passageiros entre o Rio e São Paulo, ao lado de outros não tão luxuosos, noturnos, litorinas e trens mistos. Famoso em seu tempo, não se conhecem registros fotográficos deste trem em funcionamento.Percurso: Estação Roosevelt (São Paulo) - Estação Dom Pedro II (Rio de Janeiro) - Origem das linhas: O trem passava pelo trecho Brás-Cachoeira (1908), daí até o Rio (1876). A linha ainda existe hoje para cargueiros e trens metropolitanos (estes nas linhas próximas ao Rio e a São Paulo), modificada por uma série de variantes construídas entre os anos 1950 e 2000.

O Trem Azul ou Cruzeiro do Sul, como era oficialmente batizado, representava o que de mais moderno e confortável havia de disponível para a viagem entre as duas mais importantes cidades do País. Entrando em serviço na Central do Brasil em 1929, foram fabricados nos Estados Unidos pela American Car and Foundry (ACF), sendo o lote composto por 12 carros-dormitórios e três carros garagem-buffet (restaurante), utilizados geralmente com três composições de cinco carros (4+1), tracionados por locomotivas Pacific (4-6-2) de bitola larga. Construídos em aço carbono e pintados em azul escuro com pequenos frisos dourados ou prateados (quem se habilita a tirar a dúvida?), receberam os números DM 201 a 212 (dormitórios) e F101 a 113 (bagagem-buffet), embora os números fossem das letras nas pinturas de fábrica.

"O Cruzeiro do Sul" era mais do que um trem: era uma instituição, um símbolo de luxo, um emblema de grandeza . No silêncio das noites de Rodeio, nunca chegando antes, nunca chegando depois, ouvíamos o "Cruzeiro do Sul" ainda ao longe, saindo do túnel 11 e vindo majestosamente, serpente de aço azulado, precisando cumprir o horário, nunca parando ali. Ninguém ia dormir sem que ele chegasse com seus vagões iluminados, deslizando sobre os trilhos como uma lagarta fosforescente, fazendo a estação rejeitada tremer de orgulho ferido, mas de vaidade também . Assim eram os trens daquele tempo, assim era o Cruzeiro do Sul, que não dava bola para Rodeio e o humilhava com o seu desdém, passando lentamente com seus vagões iluminados e se perdendo na noite. Mesmo assim, Rodeio sentia que vivera mais um instante de glória. Podia adormecer, agora, no silêncio deixado pelo trem azul, silêncio magnífico, silêncio que cheirava a carvão e cheiraria a saudade"

O primeiro a fazer o percurso RJ & SP o Cruzeiro do Sul foram fabricados nos Estados Unidos pela American Car and Foundry
Os cruzeiros do Sul eram tracionados por locomotivas Pacific (4-6-2) de bitola larga chamada "A Velha Senhora" maior locomotiva a vapor em operação no Brasil. Pertenceu à Central do Brasil, posteriormente, RFFSA – Rede Ferroviária Federal S/A hoje encontra-se Museu do Imigrante aos cuidados da ABPF SP

Depois foram trazidos os carros Ganz-Mavag chamados de Hungaros para o percurso

Se aprimorando vieram depois os carros Budd de aço e carbono importados do EUA

Video Trem de Prata Rio de Janeiro - São Paulo 1995



O TAV entre Rio de Janeiro e São Paulo


O Trem de Alta Velocidade Rio-São Paulo (TAV RJ-SP) ou ainda TAV Brasil é um projeto do governo federal de trem de alta velocidade ou de média velocidade com a função de interligar as duas principais metrópoles brasileiras: São Paulo e Rio de Janeiro. Um projeto antigo do governo do estado de São Paulo já previa, desde 2004, a instalação de um ramal de trem rápido entre Campinas e São Paulo, denominado trem Expresso Bandeirantes. Como alternativa, o novo estudo técnico de viabilidade sobre o traçado preliminar do trem de alta velocidade ("trem bala"), incluiu ligar Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro numa só linha de 518 km de extensão.
O projeto marcaria a entrada do Brasil no seleto grupo de países que possuem esse sofisticado tipo de transporte. A ministra da Casa Civil, informou que o trem-bala estará pronto integralmente para a Copa do Mundo de 2014, que será sediada no país. Porém, atrasos na preparação do edital de licitação apresentados em outubro de 2009 comprometeram o prazo de início das obras e dificilmente o projeto estará pronto em tempo de contemplar a Copa do Mundo.
Além da integração de três regiões metropolitanas, o TAV ligará os dois maiores aeroportos internacionais do Brasil: Guarulhos e Tom Jobim, além de Viracopos. Haverá porém, a desativação do aeroporto Campo de Marte, em Santana, na zona norte da capital paulista, onde será implantado um terminal de passageiros e o pátio de manobras dos trens.


Considerações Finais
99% daqueles que nasceram depois do início da década de 80 no Brasil não sabem que houve TRANSPORTE FERROVIÁRIO de qualidade neste país.
Na década de 70, além do TREM DE PRATA, que fazia o trecho entre RJ e SP, havia o VERA CRUZ, que ligava o RJ a BH. Antes, na década de 60, havia a LITORINA, ligando o RJ a Juiz de Fora. No RS, havia o HÚNGARO, que fazia P. Alegre x Uruguaiana em cerca de 12hs, um luxo
Havia ainda no ramal da métrica da Leopoldina saia de Barão de Mauá e seus trens de madeira, ligando RJ ao interior de Minas Gerais.


Não existe mais nenhum trem de longa distancia no Brasil, fora a linha Belo Horizonte-Vitoria e São Luiz-Carajas.

parte do texto revista ferroviaria
adaptações no texto feitas por Luiz Felipe Amante de Ferrovias
fotos locomotiva Pacific (4-6-2) trens cruzeiro do sul, Hungaro do BUDD de aço e carbono Gooogle
video Youtube